Blog posts

7 coisas que você TEM QUE SABER antes de enviar uma mensagem pelo Workaway

7 coisas que você TEM QUE SABER antes de enviar uma mensagem pelo Workaway

Diário de Workaway, Histórias

A mensagem que você manda pelo workaway pode ser a chave do sucesso em conseguir um voluntariado dos sonhos (tipo quando eu consegui trabalhar numa chocolateria numa das cidades mais lindas do Chile).

É seu primeiro contato com o host e é como um mix entre entrevista e currículo. A primeira impressão é a que fica SIM e, depois de ter feito um montão de trabalhos voluntários pelo mundo e ter recebido mais de 15 pessoas pelo workaway aqui no La Minga Hostel (e mais ou menos umas 200 mensagens de gente procurando job), resumi as principais cagadas os principais motivos para não aceitar uma pessoa como voluntária aqui.

1 – Leia com atenção o perfil do seu alvo

É o básico e vai te ajudar a se destacar. Como dona de hostel eu falo pra vocês… mais de 80% das mensagens que recebo são de pessoas que tão copiando e colando loucamente a mesma mensagem pra todos os hosts. E é fácil descobrir isso, vocês nem tem ideia quanto…

Um exemplo básico do que é isso é que uma vez me chegou uma mensagem pelo Workaway falando que a pessoa adoraria trabalhar aqui, que era encantada pela cidade e que se divertiria muito ajudando a cuidar do meu pequeno filho. Oi? Que filho, gente?! Andei procriando e não sei?!

Não sejam essas pessoas, por favor.

Eu contei um pouco das minhas experiências em Workaway nesse post aqui, já leu?

2 – Identifique os pontos em comum

Normalmente os hosts escrevem um pouco da história do negócio, deles próprios e das motivações para estar no Workaway… Veja com o que você se identifica e explore um pouco isso.

No perfil do La Minga Hostel no Workaway está bem claro que somos um casal brasileiro-chileno – acho que é a primeira coisa que está escrita por lá. Se vem mensagem de brasileiro escrito em alguma coisa que não seja português eu já fico com um pé atrás… tipo, pra que escrever em espanhol se a pessoa é do Brasil? Tem que citar o BR em algum momento senão eu nem respondo (ou respondo grossa… sim, isso já aconteceu algumas vezes, rs).

Dois brasileiros queridíssimos que me ajudaram muito no hostel 🙂

3 – Fale das suas motivações em ir para essa cidade/região

E se não tiver nada em especial, fale também. Mas aquela googleada básica pra saber os atrativos da cidade já ajuda. E também te ajuda a programar os dias livres e não se perder só trabalhando e não aproveitando todas as experiências que você pode ter.

4 – Seja claro com as suas intenções e expectativas

Se você precisa de internet boa pra trabalhar nas horas livres, se é vegano ou alérgico a alguma comida em especial, se espera que todas as refeições estejam incluídas, se prefere trabalhar 8 horas por dia pra ter mais dias livres… Esse é o momento!

Não espere pra falar disso quando chegar que você pode se decepcionar…

5 – Conte um pouco sobre você (a única parte ctrl c/ctrl v permitida)

O que te levou para a estrada, há quanto tempo está viajando, o que mais gosta, do que sente falta, as experiências prévias em workaway… Tudo isso ajuda a construir um panorama legal e ajuda a ‘convencer’ o anfitrião que você é a pessoa ideal pro voluntariado.


Use os nossos parceiros para viajar tranquilo e ajudar o OMMDA:

BookingReservando com esse link aqui da Booking, você não pagará nada a mais por isso e nos ajuda (e muito) a manter o blog!

Anonymous-aiga-first-aid-bg-300px A Real Seguros é um comparador de Seguros Viagens e com o nosso link você já ganha 10% de desconto em qualquer compra!


 

6 – Se você já tiver planos para a viagem, conte ao host… 

Amiguinhos, as datas são MUITO IMPORTANTE para qualquer voluntariado. Se for hostel então, mais ainda!

Se você tem datas ‘chave’ no seu roteiro, sempre deixe claro. Se você tem data pra chegar e pra voltar, escreva com detalhe. E se você não tem… deixe claro isso também. Um ‘quero ficar até quando eu cansar’ é melhor do que uma mensagem completamente aberta.

7 – Sinceridade! 

Em hipótese NENHUMA dê aquele miguézinho pra tentar conseguir uma vaga. Se você só sabe falar ‘hola, como te llamas?’ não significa que você sabe falar espanhol, ok?

Seja sincero com as coisas que você sabe e com o que você está disposto a fazer. Se tem nojinho de limpar banheiro, não adianta aceitar um job que tenha que fazer limpeza, né?

Já tive um voluntário que tinha escrito que queria viver em Chiloé, que tinha adorado a ilha e que queria voluntariar aqui por um mês e que poderia fazer qualquer trabalho… No fim, quando deixei a pessoa no turno da manhã, que é basicamente preparar o café da manhã e passar aspirador na casa… eu chegava e ele não tinha feito nada! Cheguei a falar duas vezes sobre a limpeza e ele não melhorava =/ No final, tive que pedir pra ele seguir viagem porque não tava dando certo e ele me falou que não se sentia bem fazendo limpeza, já que era professor e muito qualificado pra fazer um serviço tão simples! oO Nem falei nada e mandei ele ir pastar procurar um voluntariado que tivesse mais a ver com ele. E eu, com meu diploma de engenharia sigo fazendo faxina todo santo dia nesse hostel… Sem reclamar! 😉

Espero que as dicas ajudem vocês a conseguir muitos e muitos trabalhos voluntários pelo mundo! =) E se tiver sugestões pra complementar a lista, COMENTE!

E seguindo as dicas, tenho certeza que vão conseguir os melhores jobs! 🙂

About the author

Viciada em viajar, mas que sossegou - só um pouco - no Chile pra abrir um hostel. Já esteve em 9 países e 90 cidades fora do Brasil. Não sabe nadar (mas sabe andar de bicicleta). É facilmente comprável com doces e bom café. E é mão de vaca (isso é um dado importante).

59 Comments

  1. Edson Bachman
    1 de março de 2017 at 18:38
    Reply

    Agradeço muito.Camilla pelas.dicas… estou ainda enviando contatos e vieram a calhar… Vou seguir a risca.! Muito obrigado!

    • Camila Lisboa
      2 de março de 2017 at 11:55

      Oba! Tomara que dê certo 🙂 Torcendo aqui!

  2. angie
    1 de março de 2017 at 21:01
    Reply

    vtc o cara “sou qualificado demais pra fazer limpeza” vai carpir um lote pqp lazarento, acha que só pq tem estudo é melhor que alguém -_______________- doutorado em babaquice hauehaue
    fora isso, otimas dicas!!! vou aplicar pros hostels na Italia, oremos que de certo aheuahe

    • Camila Lisboa
      2 de março de 2017 at 11:56

      Deu vontade de esfregar meu diploma na cara dele hahahaha… e como se fosse aquela limpeza do cão, sabe? Mas não, é só aspiradorzinho e um paninho e tchau, tá lindo… Enfim enfim… =/

  3. Guilherme
    2 de março de 2017 at 10:27
    Reply

    É cada um que aparece, não é mesmo?? rsrsrs
    Excelentes dicas sobre o workaway! Ótimo post

    • Camila Lisboa
      25 de abril de 2017 at 15:35

      Cada figura… mas paciencia! Tive mais voluntarios bons do que ruins 😉

  4. Dilma Xavier
    2 de março de 2017 at 10:54
    Reply

    Oi Camila, legal seu post, eu não conhecia esse lance de WORKAWAY. Não tenho mais pique para isso, mas vou passar o link para minhas filhas, vai que ela gostam 🙂 . Li que seu hostel é em Chiloé, é em Castro? Conhecemos as pinguineras de Chiloé em 2016, mas não chegamos a ir até Castro. Fizemos um bate-volta de Puerto Montt, guria a motorista fui eu, peguei até estrada de rípio hahaha. Achei uma pena não dar tempo para Castro, pois gostar muito de conhecer as Igrejas de madeira de Chiloé. Abraços e sucesso no hostel. 🙂

    • Camila Lisboa
      12 de abril de 2017 at 10:31

      Obrigada e pra próxima vez tem que passar por Chiloé sim! Pelo menos por uns 3 dias pra conhecer a ilha 😉

  5. Adriana
    2 de março de 2017 at 12:29
    Reply

    Camila, adorei a sinceridade das dicas. Tem povo sem noção espalhado por qualquer lugar, né?

    • Camila Lisboa
      25 de abril de 2017 at 15:08

      Em toooooodo lugar =/

  6. Oscar | www.viajoteca.com
    2 de março de 2017 at 12:30
    Reply

    Ótimas dicas de quem está oferecendo vagas no Workaway para quem está se candidatando a esse tipo de modalidade de trabalho. Apesar de tudo o que você falou não passar de bom senso, sempre vale à pena frisar esses 7 tópicos mencionados. Na verdade no 8 tópico poderia muito bem ser a humildade.

  7. Tarsila
    2 de março de 2017 at 18:33
    Reply

    Arrasou Camila! Vou seguir as suas dicas com certeza! E como somos parecidas, também amo viajar, embora nunca tenha tido a oportunidade de sair do país (ainda) e também sou facilmente comprada com doces e café bem forte!

    • Camila Lisboa
      2 de março de 2017 at 19:57

      Saudades de café bom! – sobre as maldições de viver no sul do Chile =/

  8. Fernanda Souza
    2 de março de 2017 at 20:06
    Reply

    Eu nem sabia da existência desse site. Entrei agora e achei bem interessante. Achei uó o professor estar qualificado demais para limpeza. Odeio isso de desqualificar profissões. Ah! Eu amei o quarto do seu hostel, todo colorido. Que graça!

    • Camila Lisboa
      25 de abril de 2017 at 15:35

      Obrigada 🙂 A gente tenta colocar uma cor nessa ilha chuvosa 😉

  9. Amilton
    3 de março de 2017 at 09:32
    Reply

    Puxa, que interessante. Não conheço a plataforma ainda, mas certamente deve ser bem útil para quem procura uma oportunidade desse tipo. Abs

    • Camila Lisboa
      25 de abril de 2017 at 15:35

      Ajuda bastante, Amilton!

  10. Pollyane Martins | www.diariodepolly.com
    3 de março de 2017 at 12:41
    Reply

    Oi Camila, que dicas legais! Eu nunca tinha ouvido falar desse programa de voluntariado (em que mundo eu vivo?! kkkkkkk). Achei muito interessante vc expôr oq vc procuraria em um provável voluntário, acho que vai ajudar mta gente! Obrigada por compartilhar. Beijo grande.

    • Camila Lisboa
      25 de abril de 2017 at 15:36

      =) Obrigada por comentar!

  11. Flávia Donohoe
    3 de março de 2017 at 17:02
    Reply

    que interessante Camila, nem tinha conhecimento desse tipo de iniciativa, gostei bastante.
    Aqui na Inglaterra o que tem de gente que quer fazer voluntariado, mas na hora de pegar no batente foge não tá no gibi! Quero muito trabalhar em alguma ONG ou iniciativa do tipo no futuro!

    • Camila Lisboa
      25 de abril de 2017 at 15:01

      É então… na hora do trabalho pesado (que nem é tão pesado assim aqui), a galera foge!

  12. Flávio Borges
    3 de março de 2017 at 21:33
    Reply

    Wou! Quanta dica massa, Camila! Trabalho voluntário é algo que me chama muita atenção, mas que é um tanto quanto incompatível com a vida que levo hoje! Quem sabe não chuto o balde um dia e saio por ai distribuindo mensagens pelo workaway também hahaha! (Abrir um hostel também não é má ideia haha)
    Abraços!

    • Camila Lisboa
      25 de abril de 2017 at 15:00

      Abrir um hostel é ótimo, só que é MUUUUUITO trabalho! 🙂 Mas é divertido!

  13. Diego Arena
    4 de março de 2017 at 10:41
    Reply

    Muito bom e completo seu post! Seguirei suas dicas!
    Só por que é professor não querer ajudar é ruim eim….

    Obrigado por compartilhar

    • Camila Lisboa
      11 de abril de 2017 at 19:13

      Tem gente que não entende o conceito de voluntário =/ infelizmente, né?

  14. Larissa Pereira
    4 de março de 2017 at 14:37
    Reply

    Muito bom Camila, esse seu post serve não somente para trabalhos voluntários, como até para nós blogueiros, principalmente os que só querem viajar com tudo de graça. É tanta mensagem bizarra que se vê por aí!
    Fiquei indignada também com o cara que não queria fazer faxina pq tinha diploma. Paga tudo então, cacete!

    • Camila Lisboa
      11 de abril de 2017 at 16:43

      Né?

      Serve pra muuuuuuitos casos! E esse negócio de parceria… daria um post IMENSO pra qualquer blog, viu 😉

  15. Eliana C. Pereira
    4 de março de 2017 at 14:46
    Reply

    Adorei as dicas!!! Pode ter certeza que vou utilizá-las o dia que resolver fazer um voluntariado…

    • Camila Lisboa
      11 de abril de 2017 at 16:42

      =D obrigada por comentar!

  16. Naiara
    4 de março de 2017 at 15:22
    Reply

    Que show essas dicas Camila. É muito bom saber o que o recrutador espera de um voluntário. Às vezes, as pessoas não informam as datas e outras coisinhas por receio de não conseguir o emprego. E esquecem que isso é essencial para uma boa experiência de voluntariado.

  17. Murilo Pagani
    4 de março de 2017 at 16:51
    Reply

    Adorei as dicas!!!
    Pra ninguém sair por aí mandando mensagem sem noção!!! hahaha

    Vou deixar outras duas (mas que não são necessariamente pra usar quando enviar a mensagem), ok?!

    1- Esteja disposto a aprender… Seja um idioma, alguma tarefa, ou qualquer outra coisa.
    2- Se for trabalhar em um hostel ou em qualquer outro lugar que tenha contato direto com os “clientes”, simpatia e bom humor faz toda a diferença!

    Abraço,
    Murilo

    • Camila Lisboa
      11 de abril de 2017 at 19:13

      Dava pra acrescentar no post de tão boas que são as dicas 🙂

  18. Beneth Santana Torquato
    4 de março de 2017 at 17:13
    Reply

    Trabalhar como voluntário em troca de hospedagem e comida é uma ótima maneira de viajar, já fiz isso diversas vezes e pretendo continuar fazendo. Ótimas dicas!

  19. Ruthia Portelinha
    4 de março de 2017 at 17:20
    Reply

    Olá Camila. Tive que rir de algumas das peripécias que relata e do gif da Zena, haha. Acho que um voluntariado é uma experiência incrível, que pode ajudar alguém a crescer. Mas não se adequa a todos. Temos, antes de tudo, sermos sinceros connosco próprios, certo?
    Abraço desde Portugal

    • Camila Lisboa
      14 de março de 2017 at 18:46

      NÉ? Acho que a dica principal é ter bom senso (como em tudo na vida!) 😉

  20. Fran Agnoletto
    4 de março de 2017 at 18:55
    Reply

    Com certeza deve ser uma ótima maneira de conhecer novas pessoas e lugares.
    Adorei as dicas!!!

    • Camila Lisboa
      14 de março de 2017 at 18:46

      Bom pra viajar um monte sem gastar absurdos! 🙂

  21. Contramapa
    5 de março de 2017 at 11:19
    Reply

    Muito boas dicas! Realmente nunca usei a plataforma, mas já ouvi muito falar e acho uma grande ideia para poder viajar mais! E as suas dicas são excelentes… sinceridade acima de tudo.. No Workaway, como no AirBnb, como no Couchsurfing… bjs

    • Camila Lisboa
      14 de março de 2017 at 18:44

      Exatamente! As dicas servem pras 3 redes (e pra muitas outras mais!)

  22. Viajar pela história - Catarina Leonardo
    5 de março de 2017 at 19:45
    Reply

    Confesso que tive de ir o que é o Workway, não conhecia. E é mesmo fantástica tanta coisa que se aprende com os blogs que tenho conhecido!

    • Camila Lisboa
      14 de março de 2017 at 18:44

      😉 várias maneiras de se conhecer o mundo!

  23. Fabio
    5 de março de 2017 at 21:08
    Reply

    Olá Camila! Adoro seu blog, e como falei dá outra vez, quando formos ao Chile queremos muito passar por aí! 😉 Pra te falar a verdade, nem sabia que existia esse Workaway e achei o máximo quando li sobre em seu post! Parabéns e muito sucesso com o blog e hostel. 😉

    • Camila Lisboa
      14 de março de 2017 at 18:43

      É uma ótima maneira de economizar e viajar um montão 🙂 (e pra mim, me salva a vida aqui no hostel!)

      E fico esperando a visita, viu 🙂

  24. Louise
    17 de março de 2017 at 14:35
    Reply

    Oi! Adorei seu relato! E acompanho muito suas informações desde que estou planejando me aventurar pelo workaway! Meu noivo e eu, estamos planejando ficar 3 meses na França (que é o tempo permitido pelo visto) Mas tenho algumas dúvidas que não consigo sanar em lugar algum! Para o período que ficar fora precisa de seguro viagem certo? Saberia qual mais em conta para indicar? Ele precisa COBRIR o tempo todo que ficarei em tal país? E a passagem de volta? Compro e levo junto da ida? Obrigadaaaaaaaaaaa! Sucesso no blog!

    • Camila Lisboa
      11 de abril de 2017 at 19:12

      Oi Louise! Precisa do seguro sim, pra qualquer viagem pela Europa! Dá uma olhada no nosso link da Real Seguros, que compara os preços e te dá o mais barato 🙂 E tem cupom desconto de 10% também!

      E sim, precisa cobrir todo o período sim e eu acho bem recomendável ter a passagem de volta, já que normalmente pedem na imigração…

      Qualquer outra dúvida é só perguntar! 😉

      Beijooo

  25. Mariana
    7 de abril de 2017 at 17:00
    Reply

    Boas dicas, Camila! Quero testar essa modalidade de viagem e não tinha ideia de como fazer o approach com os lugares!

    • Camila Lisboa
      11 de abril de 2017 at 16:12

      Oba! Que bom que deu pra ajudar 🙂

  26. Nicole
    26 de abril de 2017 at 11:53
    Reply

    Oi, Camila! Estou em busca da minha primeira experiência no WorkAway e suas dicas foram muito úteis! Por enquanto o Chile não é a minha primeira opção, mas certamente está na minha lista. Quando o momento chegar, espero poder conhecer e contribuir com o seu Hostel e família!

    • Camila Lisboa
      27 de abril de 2017 at 12:03

      Obrigada 🙂 E boa sorte com o WA, mas tenho certeza que vai ter um monte de experiências legais 🙂

  27. angela sant anna
    21 de maio de 2017 at 22:28
    Reply

    bahh reli algumas dicas aqui pra ver se vai pra frente o negocio e não é que deu certo! consegui 2 workaways na italia irruuuuu!!!

    • Camila Lisboa
      22 de maio de 2017 at 14:28

      aeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee deu certo, guriaaa!! 🙂

  28. Leiliane
    23 de maio de 2017 at 08:31
    Reply

    Camila querida, sua dicas são sempre ótimas!
    Tô pesquisando um lugar de lingua espanhola pra passar um período, e de cara pensei no seu blog pra me iluminar.
    Tô iniciando as buscas no workaway e seu post me ajudou muito.
    Gostaria de ir pra uma região onde tivesse a possibilidades de trabalho após o voluntariado, caso goste e queira ficar por mais tempo, sabe?
    Sigo nas pesquisas. Quem sabe apareço por aí?
    Beijinhos!

    • Camila Lisboa
      23 de maio de 2017 at 15:35

      Vem pra cá que eu tô em busca de voluntarios 🙂 E aqui no Chile até que é fácil conseguir o visto de trabalho, viu… quem sabe é o caminho? 🙂

  29. Leiliane
    29 de maio de 2017 at 21:43
    Reply

    Uai, é uma heim? Não é para já, mas a possibilidade me atrai muito! 🙂

  30. Bianca Rossi
    9 de junho de 2017 at 18:33
    Reply

    Que legal, adorei as dicas!
    Já li bastante sobre o Workaway e pretendo final de 2018 seguir essa viagem por pelo menos 1 ano.
    Já está nos favoritos!! <3

    🙂

    • Camila Lisboa
      12 de junho de 2017 at 17:17

      Obrigada Bianca 🙂

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *