Blog posts

Parque Tayrona: o caribe é aqui

Parque Tayrona: o caribe é aqui

Colômbia, Parque Tayrona

Mas Camila, Caribe é supercaro, tem que pegar voo pras ilhas… (blobloblo) Nem tanto! Dá pra realizar o sonho com menos esforço e um pouco menos de investimento. O Parque Tayrona é um lugar maravilhoso, muito preservado e com uma calma e paz que parece outro mundo.

Como chegar ao Parque Tayrona?

O Parque fica a cerca de uma hora de Santa Marta. Você pode ir de tour, mas recomendamos sempre o método mais barato, que nesse caso é o ônibus.

O bus sai do ‘Mercado’ de Santa Marta, que não passa de uma feira livre. Só perguntar por lá que te indicam certinho o ponto do ônibus. Custa COP 6000.

Um tour não sai por menos de COP 30000 😉 

O ônibus vai te deixar na entrada El Zaino do Parque, onde você tem que pagar a taxa de COP 38000 para estrangeiros, mas se é estudante tem desconto, não se esqueça da carteirinha! Tem outras entradas, mas essa é a mais fácil pra conhecer as principais praias…

Parque Tayrona
E sim, o Parque Tayrona é bem grandinho! Clique na imagem pra ver em um tamanho maior 😉

De lá acho que o mais aconselhável é pegar uma van de COP2000 que te deixa até o ‘Parqueadero’, te poupa uma parte da caminhada que é meio ‘sem graça’.

Do Parqueadero que começa a caminhada de 45 minutos até Arrecifes ou de 1:30 a 2 horas até Cabo San Juan del Guia.

Por sinal…

Onde se hospedar no Parque Tayrona?

As duas opções mais clássicas são Arrecifes e o Cabo mesmo, sendo que em Arrecifes tem Ecohabs, que é tipo uma cabaninha com uma estrutura melhorzinha e ambas tem redes e barracas disponíveis para o aluguel. (No Cabo também tem quartos, mas acho que são só 2 disponíveis, precisa reservar).

Parque Tayrona
Arrecifes: uma das praias mais bonitas do Parque Tayrona! Mas, como o próprio nome já diz, é um lugar não tão seguro…

Arrecifes é uma praia linda, um visual de cinema, maaaaaas a praia não é própria pra banho de mar por conta dos arrecifes (dã!) e a forte correnteza. É superperigoso e já teve caso de morte de turistas! O lado bom é que a estrutura de restaurante, redes e barracas é bem organizada e tudo bem limpinho… eu diria que é mais chique, comparado com o Cabo.

Reserve com a Booking e nos ajude a continuar trazendo muitas dicas de viagens!

O Cabo San Juan del Guia é mais roots, uma estrutura mais simples, um restaurante mais familiar e tudo um pouco menos organizado do que Arrecifes. E também requer uma caminhada mais longa pra chegar lá. O lado bom? Duas praias caribenhas, daquelas de areia branca e água cristalina ali, a sua disposição em poucos passos.

Parque Tayrona

As barracas e e tenda, lá ao fundo, onde ficam as redes.

Parque Tayrona
O Cabo San Juan del Guia é um dos lugares mais procurados no Parque Tayrona, mas pouca gente fica para dormir…

E a linda praia que está a sua disposição 😉

Acabei optando por ficar duas noites no Cabo e paguei COP 20000 em cada noite de rede (sairia 25000 o aluguel da barraca que tem até um colchãozinho).


Use os nossos parceiros para viajar tranquilo e ajudar o OMMDA:

BookingReservando com esse link aqui da Booking, você não pagará nada a mais por isso e nos ajuda (e muito) a manter o blog!

Anonymous-aiga-first-aid-bg-300px A Real Seguros é um comparador de Seguros Viagens e com o nosso link você já ganha 15% de desconto em qualquer compra!


No Cabo também tem uma opção de uma rede de COP 25000, que fica nessa cabaninhaaí da foto, bem pertinho da praia, com uma vista maravilhosa do mar do Caribe.

Siga a gente no Instagram @omelhormesdoano e use a nossa hashtag #omelhormesdoano para aparecer todo sábado na nossa galeria

O que levar pro Parque Tayrona?

Leve comida: lá é tudo bem caro. Pelo menos frutas e algo para o café da manhã já vai te poupar uma boa grana.

Observação importante: não deixe comida no locker… um rato comeu todas as minhas frutas e me ferrei! Sério!!! =(

Água para o caminho: não precisa levar mais, você vai querer água gelada com certeza naquele calor escaldante.

Calça e blusa de manga comprida: não. não tô doida… a noite faz um friozinho e é bom pra proteger dos mosquitos.

Repelente e protetor solar.

Eletrônicos carregados: até tem umas 3 tomadas, mas é briga a tapa por elas.

Lanterna: dá uma boa ajudada a noite pra achar as coisas na rede e pra ver melhor o caminho entre o restaurante, banheiro e lugar pra dormir.

Snorkel: dá pra ver muitos peixinhos por lá.

Parque Tayrona

O que não levar?

Bebidas alcoólicas:  não é permitida a entrada e eles podem barrar (mas não barraram o rum que biquei por lá, rs). Se levar já sabe, pode ficar sem.

Comidas para cozinhar: não permitem a entrada de fogareiro e cozinha não está disponível.

O que fazer?

Parque Tayrona

Eu juro que pensei em fazer as trilhas pros miradores e pra outras partes do parque, mas, olha esse cenário, fiquei 3 dias no mar mesmo, não teve jeito.

A noite rola sempre altas conversas, jogos e uma bebidinha no restaurante (lá vende cerveja, não se preocupe 😉 ).

Dica especial: todo dia a tarde um senhor passa pela praia vendendo o Pan Tayrona, um paozinho recheado muito bom que custa COP 3000. Vale a pena!

Lembra que eu peguei Chikungunya na Colômbia? E o que eu faria sem o Seguro Viagem? Compre aqui o seu e viaje trnaquilo!Seguro viagem america do sul 728x90

O que esperar?

Dias que começam as 6 da manhã com muito sol e calor.

Praias tranquilas.

Parque Tayrona

E água beeeeeeeem cristalina.

Vida simples: as duchas e banheiros nem sempre estão limpos e as vezes tem uma filinha pro banho, mas nada que comprometa a estadia (que é bem simples, não espere nada demais).

Pagar caro por comida: um pratinho simples não sai por menos de COP 20000.  (E uma latinha de Águila por COP 4000).

E uma vida tranquila e sem preocupações, quer mais?

Quanto custa conhecer o Parque Tayrona?

COP 38000 de entrada

COP 6000 (x2) ônibus Santa Marta – Tayrona

COP 2000 (x2) ônibus entrada parque – parqueadero

COP 20000: a noite nas redes

É um dos meus lugares preferidos no mundo! Sério! 🙂 O Tayrona é um lugar encantador e maravilhoso e, por favor, não deixe de dormir pelo menos uma noite por lá!

Se já foi, comenta pra gente o que achou 😉

 

About the author

Viciada em viajar, mas que sossegou - só um pouco - no Chile pra abrir um hostel. Já esteve em 9 países e 90 cidades fora do Brasil. Não sabe nadar (mas sabe andar de bicicleta). É facilmente comprável com doces e bom café. E é mão de vaca (isso é um dado importante).

36 Comments

  1. Rodrigo
    19 de janeiro de 2016 at 16:20
    Reply

    Camila, gostei muito do seu relato, breve e bem objetivo.

    Estou com viagem marcada para Colômbia em abril, ainda não sei quando estarei no parque, chego dia 02 em Bogotá e dia 8 estarei em Cartagena e de lá passar por Taganga, Santa Marta e Tayrona.

    Quantos dias vc recomendaria no Tayrona? Gosto muito de praia e trilhas…

    Obrigado!

    • Camila Lisboa
      19 de janeiro de 2016 at 22:50

      Oi Rodrigo, que bom que te ajudou 🙂

      Olha, eu fiquei duas noites, mas ficaria mais, porque o lugar é maravilhoso. Mas é ‘só’ praia, você até pode fazer umas trilhas dentro, mas pra mim o negócio é o mar do Caribe mesmo.

      Te digo que a maioria vai pelo dia ou fica uma noite só, mas eu couse viajar devagaaaar e o lugar ajuda a ficar alium pouquinno mais.

      Acho que não ajudei, só confundi hahaha

  2. Paulo Gequiri
    27 de janeiro de 2016 at 13:50
    Reply

    Oi, Camila! Tudo bom?

    Seus relatos ajudaram muito, tem as informações bem claras.

    Vc sabe se consigo reservar barraca daqui do Brasil ou só me resta arriscar na hora que chegar? Se puder reservar, vc sabe como?

    Agradeço desde já..

    Beijo

    • Camila Lisboa
      28 de janeiro de 2016 at 18:26

      Em altíssima temporada acho que corre algum risco de não ter barraca lá pra alugar, mas olha, eles tem muitas, viu. Por via das dúvidas, manda um email para cabosanjuandelguia.c@gmail.com e pergunta se eles fazem a reserva, o que eu acho que sim, já que tem também uma cabana que eles alugam.

      E não esquece de usar nosso link da Booking pra outras reservas, já que essa da barraca não entra hahaha

      Beijo e boa viagem!

  3. Rodrigo
    27 de janeiro de 2016 at 15:15
    Reply

    Oláaa…
    Ajudou bastante, sim… rsrs justamente por ver que muitos relatos de pessoas que ficam apenas uma tarde ou um dia no máximo, fiquei na dúvida se valeria a pena ou não destinar no mínimo 3 dias lá, como disse antes, sou muito fã de praia e trilhas e as fotos de lá são sensacionais.
    E minha viagem não tem tantos roteiros pré definidos justamente para poder aproveitar mais 🙂

    Em tempo, alguma dica sobre a região de Guajira (Cabo de la Vela)?

    Muito obrigado!!!

    • Camila Lisboa
      28 de janeiro de 2016 at 18:23

      Essa parte da Colômbia acabei não conhecendo… fui até o Tayrona e voltei (por mais que a minha ideia inicial fosse ter cruzado até a Venezuela). Fico te devendo =/

  4. Fernanda
    24 de março de 2016 at 10:52
    Reply

    Olá Camila…adorei seus post sobre a Colombia..estou me programando para fazer um mochilão por lá e usarei suas dicas. Mas tenho uma dúvida: essa caminhada ate Arrecife..tem outro jeito nao ? Pelo modo mais econômico so andando mesmo para chegar ate la? No local há armários para guardar mochjla, no caso de aluguel de rede e barraca? Obrigada :))

    • Camila Lisboa
      27 de março de 2016 at 18:46

      Oi Fernanda!

      Pra pular a caminhada dentro do Tayrona a única possibilidade é ir de barco, que sai de Taganga e te deixa lá dentro do parque (e dá pra voltar com ele também).

      E sim, tem armários e dá pra alugar barraca ou rede pra dormir.

      Beijos e boa viagem!

  5. Bruna Vaz
    30 de março de 2016 at 11:15
    Reply

    Rola eu levar minha própria barraca pra ficar em Cabo, ou eu sou obrigada a alugar a barraca do espaço deles?

    • Camila Lisboa
      30 de março de 2016 at 12:57

      Pode sim! Vai pagar pra acampar, mas é mais barato que alugar a barraca. 🙂

  6. Pita
    12 de setembro de 2016 at 13:28
    Reply

    Olá Camila, parabéns pelo relato, esta me esclarecendo diversas dúvidas. Mas tu saberias me responder, caso eu leve a minha própria barraca, eu precisaria pagar para usar o acampamento?

    • Camila Lisboa
      12 de setembro de 2016 at 19:26

      Oi Pita, acabei de checar nesse site aqui e pra ficar lá com barraca própria custa COP 15000. Se for alugar a barraca, 25000.

      Como a área de camping no parque é particular (e não pode acampar fora dela), não tem jeito, tem que pagar… =/

  7. Amanda Saviano
    13 de janeiro de 2017 at 19:09
    Reply

    Que lindo! Vai ficar guardado pra quando eu conhecer o país! Beijos

  8. Fernanda - Blog Tá indo pra onde?
    13 de janeiro de 2017 at 21:52
    Reply

    Pelo visto é pra quem quer (ou precisa) de paz e sossego mesmo! Paisagem incrível!

    • Camila Lisboa
      24 de janeiro de 2017 at 16:50

      Não tem nem luz, Fer!!

  9. Dayana
    13 de janeiro de 2017 at 22:18
    Reply

    Nossa, essa do rato foi teeeeensa! Nunca que ia imaginar de deixar comida no locker e acontecer uma coisa dessas!!!

    • Camila Lisboa
      24 de janeiro de 2017 at 16:46

      hahahah me ferrei, mas foram poucas coisas… menos mal, né?

  10. Ana Carolina Miranda
    14 de janeiro de 2017 at 09:04
    Reply

    Camila, adorei a dica. Ainda não tinha ouvido falar do Parque Tayrona, mas lendo seu post achei uma gracinha. Que praia, hein?

  11. Juliana Brandao
    14 de janeiro de 2017 at 16:56
    Reply

    Hoje eu moro meio longe da América do Sul, mas fico sempre me perguntando o motivo de não ter aproveitado mais quando morava tão pertinho. Que paraíso!!!!

    • Camila Lisboa
      24 de janeiro de 2017 at 16:45

      É maravilhoso <3 mas eu moro no mesmo continente e acho que tá quase mais perto pra você do que pra mim hahaha

  12. Alessandra Maróstica de Freitas
    15 de janeiro de 2017 at 09:26
    Reply

    Que lugar bacana! Ainda não conheço a Colômbia, mas quando for quero fugir dos lugares óbvios, por isso adorei sua dica! Ótimo post!

    • Camila Lisboa
      24 de janeiro de 2017 at 16:44

      Tayrona é obrigatório em qualquer roteiro 🙂

  13. Deisy Rodrigues
    15 de janeiro de 2017 at 22:50
    Reply

    Já quero Tayrona no meu roteiro, pra ser sincera estou com você, trilha pra segundo plano, vamos curtir o mar.

    • Camila Lisboa
      24 de janeiro de 2017 at 16:42

      Né? Com essa super praia é difícil ter pique de sair pra andar, né? rs…

  14. Paula Abud
    16 de janeiro de 2017 at 09:21
    Reply

    Nossa, que paraíso, Camila! Acho que têm viagens que essa vida simples é indispensável, o legal de tudo isso é abrir mão de um conforto maior pra poder curtir tudo o que esse mar lindo tem a oferecer. Fiquei apaixonada pelos cenários das fotos, adorei seu post!

    • Camila Lisboa
      24 de janeiro de 2017 at 16:42

      Obrigada 🙂 e nossa, a gente nem liga de dormir em rede se o lugar é lindo assim <3

  15. Viviane
    16 de janeiro de 2017 at 20:20
    Reply

    Adorei o post e achei o lugar lindíssimo!!! Pretendo conhecer a Colômbia em breve e esse post veio a calhar.

    • Camila Lisboa
      24 de janeiro de 2017 at 16:07

      Vale muito a pena incluir no roteiro!

  16. Beneth Santana Torquato
    17 de janeiro de 2017 at 10:20
    Reply

    Que lugar incrível! Ir com tours é sempre muito mais caro que por conta própria, raramente vou com esses tours. Olha, sou viciado trilhas, mas acho que com um mar desses eu também não sairia do lugar haha

    • Camila Lisboa
      24 de janeiro de 2017 at 14:46

      É maravilhoso! A trilha é bem fácil, mas o calor mata demais… Caribe, né!? 🙂

  17. Marcia
    19 de abril de 2017 at 23:32
    Reply

    Parabéns, seu relato é claro e ajuda muitíssimo! Vc saberia me dizer como é o clima em junho? Não estou conseguindo infos…tks

    • Camila Lisboa
      20 de abril de 2017 at 12:17

      Oi Márcia! Em geral, faz calor sempre nessa região 🙂 Vai com fé! Pode chover um pouco, mas é tipo as ‘chuvas de verão’ no Brasil!

  18. angela sant anna
    23 de abril de 2017 at 13:16
    Reply

    realmente quando vc falou q o tayrona era bonito n pensava q era RETARDADO DE BONITO! cada vez mais apaixonada pela colombia! <3

    • Camila Lisboa
      25 de abril de 2017 at 14:43

      É mesmo, guria! Lugar espetacular!!!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *