Blog posts

3 roteiros para Machu Picchu: da correria ao slowmotion

3 roteiros para Machu Picchu: da correria ao slowmotion

Cusco, Machu Picchu, Peru, Roteiros de viagem, Valle Sagrado

Pros mais apressadinhos aos mais slowmotion (como yo, rs), algumas sugestões de roteiros para se conhecer a capital do Império Inca e as ruínas mais desejadas da América do Sul.

roteiro Machu Picchu

Roteiro Machu Picchu 1: na correria (4 dias)

A gente sabe que nem tudo são 30 dias de férias flores, né? Pra quem consegue ir num feriado prolongado, essa já fica uma ótima pedida:

Dia 1 – Aclimatação

A aclimatação está em todos os roteiros, não tem como fugir… É pelo bem da sua saúde e pra não comprometer a viagem!

Dia 2 – conhecer o Valle Sagrado e, ao fim do dia, pegar o trem de Ollantaytambo até Aguas Calientes

Indo por conta (como ensinamos aqui) ou de tour, no fim do dia você estará em Ollantaytambo e é só pegar o trem de lá, bem fácil e mais barato do que pegar de Cusco mesmo.

Dia 3 – Machu Picchu durante todo o dia e volta para Ollantaytambo/Cusco a tarde ou a noite

Dia 4 – volta para casa (e dependendo do horário do voo, ainda dá pra conhecer as ruínas do City Tour)

Peruanas com roupas típicas em Tambomachay

Cena típica pelas ruínas… e a cena vale 1 sol, sempre.


Use os nossos parceiros para viajar tranquilo e ajudar o OMMDA:

BookingReservando com esse link aqui da Booking, você não pagará nada a mais por isso e nos ajuda (e muito) a manter o blog!

Anonymous-aiga-first-aid-bg-300px A Real Seguros é um comparador de Seguros Viagens e com o nosso link você já ganha 15% de desconto em qualquer compra!


Roteiro Machu Picchu 2: cultura inca mais a fundo (6 dias)

Curioso sobre esses passeios? Veja muuuuuuuitos posts de Cusco nesse link aqui.

Pra quem consegue dois dias a mais e um pouco de dinheiro a menos, já consegue aproveitar bem mais e fazer uma viagem mais tranquila 😉

Dia 1 – Aclimatação

Dia 2 – Valle Sagrado

Dia 3 – Ida até Aguas Calientes pela Hidrelétrica (um pouco mais de detalhes você encontra aqui).

Dia 4 – Machu Picchu e volta para Cusco

Dia 5 – conhecer as 4 ruínas do City Tour e o Qorikancha (outro passeio que ensinamos a fazer sem agência aqui).

E nessa noite a nossa sugestão é conhecer as festas de Cusco, que são animadíssimas. 😉

Dia 6 – ressaca Conhecer a cidade: tem diversos museus que merecem a atenção, o mercado de Cusco, ida ao bairro de San Blas… e volta para casa.

Moray

 

Moray – a área inca de experimentação agrícola

Roteiro Machu Picchu 3: slowmotion e imersão (11 dias)

Pra quem quer entrar em contato direto com Pachamama, Pachacuteq e aprender tudo da cultura inca.

A gente também está no Instagram! Veja as nossas fotos em @omelhormesdoano

Dia 1: Aclimatação

Dia 2: Qorikancha, Tambomachay, Pukapukará, Saqsahuaman, Qenqo (City tour)

Dia 3: Pisac durante o dia e ida a Ollantaytambo ao fim da tarde. 

Dia 4: Ollantaytambo – conhecer as duas ruínas e andar pela cidade

Dia 5: Maras e Moray (sim, é possível fazer saindo de Ollanta)

Dia 6: Trilha Inca dia 1

Dia 7: Trilha Inca dia 2

Dia 8: Trilha Inca dia 3

Dia 9: Trilha Inca dia 4

Dia 10: ruínas do Valle SurPikillacta e Tipon

Dia 11: volta para casa

Plaza de Armas de Cusco

Reserve sua hospedagem em Cusco com esse link do Booking (a nossa dica é o Loki 😉 ), não pague nada a mais por isso e ainda nos ajude a manter o blog 😉

Lógico que dá pra fazer uma infinidade de roteiros envolvendo Cusco e o Valle Sagrado, mas essas são algumas das sugestões. Mescle os 3 e crie o seu próprio roteiro, de acordo com suas vontades e necessidades. 😉

Machu Picchu

E não deixe de conhecer os museus e atrações da cidade, tem vários deles que já estão incluídos no Boleto Turístico (que você pode ver mais detalhes aqui.)

Ai que saudades de Cusco que me deu agora…
Reserve sua hospedagem com a Booking!

Gostou desse post? Compartilhe na suas redes sociais!

About the author

Viciada em viajar, mas que sossegou - só um pouco - no Chile pra abrir um hostel. Já esteve em 9 países e 90 cidades fora do Brasil. Não sabe nadar (mas sabe andar de bicicleta). É facilmente comprável com doces e bom café. E é mão de vaca (isso é um dado importante).

35 Comments

  1. Grasiele
    11 de fevereiro de 2015 at 15:57
    Reply

    Meeeeeee Camilaaa,
    sempre acompanho seus posts aqui, e relatos no mochileiros…
    mas desta vez, veio a calhar!
    Só não sei ainda se ajudou ou piorou, pq eu sou a louca do roteiro, e acabo fazendo algumas loucuras, que nem sempre seriam necessárias!
    Comprei uma passagem no susto em promoção pra Cusco pra maio, e serão 6 dias inteiros, mais meio dia na chegada e meia manhã na saída (leia-se ressaca, bêbada, despedida da trip, enfim)…
    Acho que este meu período se encaixaria no seu roteiro 2 de 6 dias, porém eu queria mtoooo conhecer o Lago Titicaca, depois de MP lá é meu desejo… vc acha que consigo incluir no meu tempo, este destino? Tenho outra dúvida, é possível visitá-lo pelo lado Peruano, pois os relatos que li, são pela Bolívia.
    Se puder me ajudar agradeço! De coração…

    Outra coisa, vou ficar no Loki hehehehe já tinha lido relato sobre lá, e depois que li no seu relato sobre lá, fechei! Só não quero descer rolando a ladeira, que daí é demais pra minha pessoa….

    bjão e sucesso!
    Grasi

    • Camila Lisboa
      11 de fevereiro de 2015 at 20:54

      Oi Grasi 🙂 que bom que você acompanha o blog e que tá te ajudando ^^

      Bom, eu sou suspeita pra falar porque 1)gosto de viagem slowmotion e 2) não gosto de Puno (tem um post que falei um pouco de lá, dá uma olhadinha – http://www.omelhormesdoano.com/2014/03/puno-islas-flotantes-de-uros/ ) então a minha sugestão é focar em Cusco mesmo, a cidade é superbacana e tem muitas opções. E as festinhas… e as festinhas do Loki…. você não vai se arrepender! =)

      Aproveita que se decidiu e reserva o Loki pelo nosso link do Booking que nos ajuda a manter o blog no ar (e vc não paga nada a mais por isso 😉 ).

      Mas olha… vc nao vai se arrepender do esforço da ladeira, aposto com vc =)

      Beijos e boa sorte na viagem =***

  2. Guilherme de Paula Moratti Dalmonech
    18 de fevereiro de 2015 at 20:36
    Reply

    O primeiro dia em Cusco, reservado à aclimatação, permite que sejam feitos passeios pela cidade caso haja tempo disponível, ou é necessário permanecer em algum tipo de repouso no hostel? Como deve ser feita essa aclimatação?

    • Guilherme de Paula Moratti Dalmonech
      18 de fevereiro de 2015 at 20:40

      Você acha importante e necessário fazer o seguro saúde para a viagem. E sobre os efeitos da altitude, é algo que se pode suportar sem muita dificuldade? É necessário algum cuidado especial?

    • Camila Lisboa
      19 de fevereiro de 2015 at 10:37

      Oi Guilherme, tudo bom?

      Respondendo aos dois comentários:

      1- Aclimatação é uma coisa muito importante sim, mas como aclimatar depende muito do organismo da pessoa. Já vi gente que é atleta no Brasil chegar lá muito ruim e eu que não faço nada fora do básico sempre reagi bem (mas sempre respeitando os limites do meu corpo). Acho que mandatório tirar pelo menos meio período para descanso, isso pode ser um cochilo, um tempo no hostel vendo um filme, um bate papo na Plaza de Armas… o importante é não andar muito e não comer nada pesado. Aí acho que a noite você se avalia para ver se precisa de mais sossego ou se dá pra aproveitar um pouco mais

      2- Eu fiz o seguro saúde para a última viagem, que foi mais longa, mas pra viagens mais curtas nunca fiz. Acho que isso depende um pouco mais da segurança que você tem, das suas necessidades de saúde… Eu fiz o seguro e não usei. Conheci gente que viajou uma semana e teve que voltar pro Brasil porque quebrou a perna… Não tem fórmula certa nesse caso.

      3- Chá de coca e mascar a folha já ajudam bem. Fora isso ainda tem as soroche pills, que prometem ajudar bastante (mas nunca usei então não posso te falar). O que é complicado é pra quem tem pressão alta, aí nem é aconselhável ir para lugares de altitude.

      Espero ter te ajudado, qualquer coisa só perguntar!

      Beijos!

  3. Gê Azevedo - Mineiros na estrada
    29 de outubro de 2016 at 17:05
    Reply

    Muito bom, Camila. Eu sou como você, prefiro ir mais lento. Ficamos nove dias e voltei mó chegada do Pachacútec! 😀

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 17:52

      uhauuhauhuha aquelas que ficam íntimas da coisa 🙂

  4. Viaje Comigo
    29 de outubro de 2016 at 18:03
    Reply

    Quero tanto ir para este destino! Que maravilha de dicas! Principalmente quero muitoooooo conhecer Machu Picchu e Cusco e pronto… tudo o resto! Vou guardar este guia e as sugestões! Boas viagens!

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 17:52

      Guarda mesmo! 🙂 Espero poder ajudar a planejar essa viagem delícia 🙂

  5. Filipe Morato Gomes
    29 de outubro de 2016 at 18:33
    Reply

    A região de Machu Picchu merece tempo. Se não for a versão “slow motion e imersão”, pelo menos optem pela “cultura inca mais a fundo”. Há lugares no mundo que merecem que a gente pare, fique, sinta, viva com calma – e esse é um deles. Mas isso sou eu, que gosto de viajar devagar. Grande abraço 🙂

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 17:51

      Eu também sou dessas… adooooooooro viajar devagarzinho!

  6. Michela
    29 de outubro de 2016 at 19:40
    Reply

    Ah, legal, dicas e opções para todos os gostos: para os que dispões de vários dias de folga, até para os apressadinhos de plantão. Quero muito ir ao Perú, mas ainda não deu. Com certeza este post será muito útil para quando formos.

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 17:51

      Tomara que você tenha muuuuuuuuuuuitos dias pra poder aproveitar TUDO! 🙂 É lindo! 🙂

  7. Viajar pela história - Catarina Leonardo
    29 de outubro de 2016 at 19:48
    Reply

    Olá, boa noite.
    Existem imensos posts sobre Machu Picchu mas este tem uma abordagem diferente. Muito interessante. Dá perfeitamente para perceber o que se pode fazer/ver mediante o tempo e o stress de cada uma 😉

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 17:50

      Que bom que você gostou 🙂 E espero que seja útil pra muita gente! 🙂

  8. Josiane Bravo
    30 de outubro de 2016 at 01:21
    Reply

    Que bacana essas sugestões de roteiro. Eu namoro o Peru há um bom tempo, e sou louca para conhecer o país lindo e essa maravilha do mundo, Machu Picchu 🙂 Para mim, o último roteiro citado seria o ideal, pois quando for quero fazer a Trilha Salkantay e conhecer o lugar por completo, com direito a muita picada de bicho, ficar sem tomar banho, etc kkkk 🙂

    Abraços

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 17:49

      huahuahuhauhua siiiiiim! Adorei que você é dos perrengues tb! 🙂 Vai adorar essa viagem, Josi!

  9. Angelica Figueiredo
    30 de outubro de 2016 at 01:24
    Reply

    Até hoje eu não me conformo de não ter ido a Machu Picchu no tempo que morei no Acre! Agora vou voltar em família, adorei as opções de roteiros, com certeza estou entre o roteiro 1 ou 2, slowmotion é muito difícil pra gente! Bjs Angelica @descansanavolta

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 17:49

      Tão pertinho!? Mas tudo bem, tenho certeza que em algum momento você vai conseguir realizar esse super sonho 🙂

  10. clarissa ferreira
    30 de outubro de 2016 at 02:26
    Reply

    Definitivamente Machu Picchu não combina com correria! Ter feito a trilha Inca foi uma das minhas experiências de viagem mais memoráveis! Chegar na cidade sagrada dos incas depois de 4 dias de trilha é pura emoção, sem contar que poder chegar lá antes dos turistas todos é uma excelente recompensa!

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 17:48

      Morro de vontade de fazer a Trilha Inca, Clarissa! Pena que tá tão caro… mas acho que vale a pena demais o investimento, né?

  11. Caio
    30 de outubro de 2016 at 05:58
    Reply

    Gostei muito da sugestão de 6 dias. Estou planejando viajar para a América do Sul no meio do ano que vem depois de quase um ano pela Ásia. Sou tenho muita vontade de conhecer Machu Picchu mas ainda não tive oportunidade. Já salvei esse post como uma das fontes de pesquisa para o planejamento. Parabens, muito bom!

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 17:47

      Espero que possa ajudar nessa super viagem! Se tiver alguma dúvida, pode perguntar 🙂

  12. Marlene Marques
    30 de outubro de 2016 at 08:29
    Reply

    Adoro que tenha feito roteiro mais slow motion e mais para a correria. 😀 Eu sou mais uma pessoa slow motion, mas quando viajo nunca tenho muito tempo para ver tudo. Por isso, teria sempre que optar pelo primeiro. 😉

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 17:47

      É então… tem pra todos os gostos, Marlene! Pra quem tem menos e pra quem tem mais dias 😉

  13. Isabela Bastos
    30 de outubro de 2016 at 17:10
    Reply

    Adorei!!! Machu Picchu está no topo da lista dos desejos… mas agora com o baby tivemos que adiar um pouquinho! Mas vou salvar teu post aqui para consultar

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 15:12

      Ah sim, com baby + altitude é complicado! Mas um pouquinho mais grandinho já vai curtir 🙂

  14. Ricardo
    16 de junho de 2017 at 20:59
    Reply

    Olá pessoal!!
    Qual é a melhor época para visitar Machu Picchu?

    • Camila Lisboa
      18 de junho de 2017 at 17:20

      Fora no verão, que as chuvas podem complicar a visita, de março a dezembro é uma ótima opção!

  15. Victor Ricardo
    14 de julho de 2017 at 21:16
    Reply

    Oi Camila, tudo bem?
    você foi por conta propiá ou contratou uma agência ?

    • Camila Lisboa
      14 de julho de 2017 at 22:53

      Por conta própria 🙂

  16. Leidy Loiola
    30 de julho de 2017 at 18:21
    Reply

    Olá, Camila!
    Estou planejando ir em janeiro sozinha e ficar 10 dias. Para o roteiro de 10 dias a sua indicação é de ficar em apenas um hostel? Esses passeios são para apenas um dia com retorno para o mesmo local de hospedagem ou precisa sair de um local de hospedagem e procurar outro?

    • Camila Lisboa
      8 de agosto de 2017 at 15:46

      A maioria dos dias em Cusco… menos a ida pra Aguas Calientes, que recomendo que durma pelo menos a noite antes de ir para Machu Picchu por lá!

      Mas eu recomendo também dormir uma noite em Ollantaytambo, que é uma cidadezinha bem linda 🙂

  17. Leidy Loiola
    30 de julho de 2017 at 18:22
    Reply

    A gente consegue desenrolar por lá só com o português?

    • Camila Lisboa
      8 de agosto de 2017 at 15:45

      Consegue sim! Naquele portuñol maroto 🙂

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *