Blog posts

Laguna 69: tudo o que você precisa saber pra chegar!

Laguna 69: tudo o que você precisa saber pra chegar!

Huaraz, Peru

Depois do fatídico caso de dor e choro no Cañon del Colca eu pensei muito nessa viagem sobre o que eu daria conta de caminhar. O trekking Santa Cruz (4 dias) estava fora de cogitação, não tava em condições de arriscar ter um problema maior no joelho, né? Mas arrisquei ir até a Laguna 69 e não me arrependi!

A Laguna 69: anda, anda, anda…

Eu já sabia que o trekking até a Laguna 69 era pesado: rezava a lenda que tinha uma subida meio filha da puta no final, depois de 1:30 de caminhada. Mas aí vem as fotos que você vê por Huaraz, aquilo é lindo demais, vou fazer o esforço (e segura as pontas aí, joelhinho, rs).

Pra Laguna 69 você tem a opção de pegar uma van até Yungay e depois uma outra condução até o começo da trilha, em Cebollapampa. O problema é que os horários são místicos e ninguém soube me falar com certeza sobre essa van… Se eu precisasse tomar o taxi até lá, com certeza sairia mais caro que os 40 soles do tour (que nem é um tour, um bus leva a galera até o começo da trilha e espera até as 3:30 pra voltar pra Huaraz).

Por sinal, mística é a palavra quando se trata de transporte público no Peru, principalmente no norte. As informações são sempre desencontradas e se você depender somente disso fica supercomplicado. Infelizmente tive que apelar pros tours algumas vezes pra evitar a dor de cabeça dos ônibus místicos peruanos).

No fim, tive que desembolsar os 40tinha e acordar as 5:15 pra esperar o ônibus. O tour para num lugarzinho pra tomarmos café da manhã. Um lugar bem rústico e bem aceitável, 4 soles um mate de coca e um pão com queijo pra aguentar o começo da caminhada. (Mas vale lembrar que na bolsa tinha uma quitanda inteira: maçãs, bananas, abacate, maíz gigante e água, que foi um litro e meio no caminho.

Muitas das nossas fotos de viagem estão no nosso Instagram @omelhormesdoano

Pra esquentar tem uma parada em uma das Lagunas Llanganuco, com uma cor azul que até assusta.

Laguna Llanganuco

Mas pra chegar na 69 tem chão. O começo da caminhada é leve, uma meia hora em ligeira subida (mais pra plano mesmo) próximo ao rio, com direito a vaquinhas e cavalinhos. Cortei o rio várias vezes e teve um ponto que perdi a trilha, mas uns 5 minutos perdida já me achei de novo.


Use os nossos parceiros para viajar tranquilo e ajudar o OMMDA:

BookingReservando com esse link aqui da Booking, você não pagará nada a mais por isso e nos ajuda (e muito) a manter o blog!

Anonymous-aiga-first-aid-bg-300px A Real Seguros é um comparador de Seguros Viagens e com o nosso link você já ganha 15% de desconto em qualquer compra!


Depois começa uma subida. Achei que era a subida do final, bobinha. Sobe-se em zigzag por mais de una hora, uma subida não exatamente difícil em condições normais de altitude e joelho. Mas cansativa com certeza. A subida acaba (depois de bastante suor na blusa de frio, daqueles momentos que você tá com calor e frio ao mesmo tempo e nunca sabe o que fazer) e dou de cara com uma laguna. Não cheguei ainda mas é uma desculpa pra parar e respirar um pouco. 🙂

Muita neve no caminho a Laguna 69

Um momento tranquilo de 15 minutos de caminhada sem subidas mas com o coração gelado só de ver a tal da subida filha da puta. Pensei em desistir. Mas não. Fé e foco (e pernas).

A subida é cansativa mesmo, muitas pedras, muitos degraus e muita altitude. Parei mais ou menos uma 35926 vezes pra descansar. Num desses pontos encontrei uma amiga da Espanha e um da Alemanha, que até se ofereceu pra carregar minha mochila (vendo a minha cara da derrota oO). Mas sou cabeça dura e fui assim mesmo, com joelho fudido e peso nas costas.

Mais uns 15 minutos de caminhada pensei em desistir. Sentei numa pedra e me prometi uma música inteira de descanso. No fim da música ainda tava morta, pensei de novo em desistir aí desce um guia e eu pergunto pra ele se ‘tá chegando, mãe?’. Ele me deu um banho de auto-estima: tá chegando, só mais 10 minutos andando devagarzinho, que eu tava num excelente tempo e dava pra eu descansar mais de uma hora na laguna… Forças surgiram e fui. E valeu a pena o esforço de duas horas e meia 🙂

O azul indescritível da Laguna 69
E já viu um azul assim?

Chegando lá já tava rolando um picnic dos gringos e me juntei. Ficamos nós 4 lá (depois chegou mais um espanhol), só observando a maravilhosa paisagem da Laguna 69 ao som do sofrível ‘ Chora, me liga’ (sim, é verdade e não, não era do meu celular kkkkk era da espanhola). Não tive coragem de entrar na água geladérrima, mas sempre tem uns caras corajosos nesse mundo. Uma horinha de descanso e fotos e depois descida. O caminho fica até mais lindo com um pouco menos de cansaço.

Lindo né? Confira mais lindezas em Huaraz aqui.

Caminho a Laguna 69

Tem uma cachoeira que te segue o tempo todo. Coisa linda de se ver. Uma hora e meia depois o negócio foi voltar pra Huaraz, banho e janta. E um belo cansaço que valeu a pena. E as fotos incríveis de mais um lugar inacreditável na América do Sul. =)

Gastos:

4 soles de café da manhã

40 soles no ônibus até o começo da trilha

Apesar de todo sofrimento por conta da altitude e do joelho zuado, eu recomendo muito essa trilha. É uma superação danada, mas que é recompensadíssima com uma das paisagens mais marcantes da América do Sul. Vá! Devagar e sempre, mas vá!

Reserve com a Booking e nos ajude!

Gostou desse post? Compartilhe na suas redes sociais!

About the author

Viciada em viajar, mas que sossegou - só um pouco - no Chile pra abrir um hostel. Já esteve em 9 países e 90 cidades fora do Brasil. Não sabe nadar (mas sabe andar de bicicleta). É facilmente comprável com doces e bom café. E é mão de vaca (isso é um dado importante).

61 Comments

  1. rafael
    23 de dezembro de 2014 at 18:14
    Reply

    Oi Camila! Adorei esse seu relato… estou indo agora em janeiro prá lá e queria visitar a laguna 69 (me apaixonei desde a primeira vez q a vi!) porém sou meio sedentário…
    Qual sua opinião sobre um sedentário tentar ir lá? se´ra que consigo? desde já obrigado!!

    • Camila Lisboa
      23 de dezembro de 2014 at 19:14

      Olha, Rafael… É uma caminhada pesada, principalmente por conta do final, que é bem cansativo mesmo. Mas na trilha tinha bastante gente que não estava acostumada, cansaram demais e demoraram bastante, mas conseguiram.

      Acho que o principal segredo é a aclimatação, estando aclimatado seu rendimento já aumenta. Altitude é um saco =/

      Não acho que é impossível, mas eu tentaria algum outro trekking antes em Huaraz antes de tentar a 69, tem algumas opções bem próximas a cidade e você pode ‘se testar’ na altitude com elas. Se tiver bem, parte pra lá! O final compensa bastante =)

    • rafael
      24 de dezembro de 2014 at 12:29

      Valeu pelas dicas Camila!! Grande Abraço!

  2. Mai
    11 de março de 2015 at 17:29
    Reply

    Que lindo!! to amando seus relatos! pretendo fazer uma trip pela Colombia e Equador, mas penso em acrescentar o norte do Peru que não conheço muito bem só pra ver essa beleza de perto!

    Você sabe se pode acampar por lá ou é um desses parques com controle ambiental, fiscalização e tudo mais?

    • Camila Lisboa
      18 de março de 2015 at 14:04

      Dá pra acampar no Huascarán sim, só é preciso comprar o ingresso múltiplo, que é válido por vários dias. Tem fiscalização forte em todas as entradas, é bom porque é super bem cuidado 🙂

      Dá uma pesquisada no trekking Santa Cruz, que é um dos clássicos de Huaraz, 4 dias de trekking pelo parque, é lindo! Não fiz porque meus joelhos não estavam permitindo na época.

      :*

  3. Monalisa
    6 de janeiro de 2016 at 09:30
    Reply

    Olá! Que post lindo! A minha dúvida é… Tem um época do ano mais favorável pra ir e ver as lagunas azuizinhas? Ou qualquer período dá certo. Obrigada!! Monalisa

    • Camila Lisboa
      8 de janeiro de 2016 at 09:23

      Oi Monalisa, tudo bem?

      Incrivelmente esse lago tem essa cor o ano todo! É lindo lindo lindo!

      O complicado por lá é a época de chuvas, que vai de setembro a dezembro, aí é melhor planejar a viagem pra outra época mesmo, mas mesmo assim o clima lá não costuma ser tão complicado assim.

      Um beijo!

      Camila

  4. Laís Muniz Machado
    1 de fevereiro de 2016 at 14:02
    Reply

    Ola Camila

    Muito legal o seu relato! Estou indo agora março e pretendo visitar a Laguna 69! Adorei as dicas!

    Gostaria de saber mais informação sobre esse ônibus que leva até o inicio da trilha. Você fechou com alguma agencia? Pode explicar melhor como localiza-lo?

    Obrigada

    • Camila Lisboa
      1 de fevereiro de 2016 at 19:41

      Oi Laís! Que bom que o relato está te ajudando 🙂

      Fechei a van no Hostel Churup (que tem o review aqui no blog e é um hostel que gostei muito!), mas em quase todos os hosteis tem essa opção. Nem se preocupa porque lá você consegue achar fácil.

      Ah, se ainda não reservou hospedagem, usa o nosso link da Booking (essa caixinha amarela no lado direito) que nos ajuda pra caramba com o blog e não custa nada a mais pra você!

      E se tiver mais alguma dúvida, manda pra gente.

      Beijos e boa viagem!

  5. Carina
    1 de março de 2016 at 13:22
    Reply

    Olá! Tou adoro seu blog. Sou portugal, tou saindo para fazer Peru, Bolívia, Chile. Quero adicionar laguna 69 quantos dias preciso para fazer?

    Obrigadão

    • Camila Lisboa
      1 de março de 2016 at 16:06

      Oi Carina! Nossa, estamos internacionais aqui no OMMDA 🙂 que bom que você curte!

      Olha, essa caminhada à Laguna 69 é de um dia apenas, dá pra ir de manhã e voltar a tarde tranquilamente. Em Huaraz tem outras coisas legais pra fazer (Chavin de Huantar e o Pastoruri ficam lá pertinho… tem post!) então daria pra aproveitar que foi até lá pra conhecer outros lugares também.

      Bom, pra chegar até Huaraz tem que se passar por Lima e são cerca de 8 horas de ônibus.

      Beijo e boa sorte com a viagem! Qualquer dúvida, só comentar! 🙂

    • elisangela selau
      19 de maio de 2016 at 14:20

      Não tem como ir de cusco pra lá? Na realidade estarei em la paz e terei mais 7 dias, que quero ir no canyon de coca, na laguna 69 e no oasis, como sera a melhor forma?

    • Camila Lisboa
      20 de maio de 2016 at 12:41

      Não, Elisângela! Tem que ir pra Lima de qualquer jeito e de lá pra Huaraz. Pra essas cidades, eu faria Arequipa, Ica, Cusco, Lima e Huaraz, mas accho que 7 dias é muito apertado pra tudo isso, é bem longe =/

  6. ROGÉRIO GOMES BÜTTNER
    5 de maio de 2016 at 13:57
    Reply

    Ví sobre esse lugar no FB e vim parar aqui. Agora vou ter que devorar o seu blog sobre lugares no Chile, Peru e Bolívia (o básico da A.S para começar!) para o meu primeiro mochilão e sozinho…

    • Camila Lisboa
      5 de maio de 2016 at 22:53

      Oi Rogério! Que bom que você gostou 🙂 Se precisar de alguma dica, é só avisar!

  7. Michelle
    11 de maio de 2016 at 23:12
    Reply

    Oi Camila!
    Quero te agradecer pelo blog, ele foi inspiração e guia na viagem q fiz com meu namorado para o Peru agorinha (23/4 a 09/5/2016). Fomos para Huaraz e suas dicas foram ótimas: fomos para a Laguna 69 (de matar de linda e pesada), Chavin de Huantar e Pastoruri. E tbem seguimos suas dicas para Cusco. Muito obrigada, sua linda!
    Beijos

  8. Anderson Souza
    16 de maio de 2016 at 12:38
    Reply

    Olá Camila!Já fiz a caminhada Hidroelétrica-Águas Clientes(3h) e no dia seguinte subi até Machu-Picchu(1:30h) o que me preocupa é o frio/vento…

    • Camila Lisboa
      20 de maio de 2016 at 12:55

      A trilha é BEEEEM mais pesada que a da hidrelétrica. Mas não desanima, devagar e sempre 🙂

  9. Anderson Souza
    16 de maio de 2016 at 12:40
    Reply

    Pretendo estar em Huaraz na primeira semana de Junho para realizar esse sonho

  10. Daniela
    31 de maio de 2016 at 13:00
    Reply

    Olá 🙂 parabéns pelo blog, está me ajudando muito a planejar a viagem pro Peru agora em julho. No post você cita um guia, como funciona isso? Na entrada do parque partem grupos com guias? É gratuito?

    • Camila Lisboa
      1 de junho de 2016 at 12:25

      Não precisa de guia não, Daniela! Claro que tem como contratar com agências, mas acho bem desnecessário, já que o caminho é BEEEEEEEEEM marcado.

      Eu encontrei com o guia de um outro grupo enquanto eu tava subindo, ele que me deu um ânimo para terminar 🙂

      Vai na fé, vai dar certo =D

  11. pedro
    1 de junho de 2016 at 13:38
    Reply

    Eu posso acampar por um dia na beira da laguna 69?

    • Camila Lisboa
      13 de junho de 2016 at 17:33

      Em teoria não, mas te falo que já escutei de gente que acampou por lá sim…

      Mas tem um camping logo no começo da trilha, num lugar lindão… Lá pode! 😉

  12. Francine Cecília
    2 de julho de 2016 at 23:40
    Reply

    Boa noite, Camila 😊

    Amei todas as informações.

    Estou indo com meu marido agora em
    Agosto para o Peru. Ficaremos 2 dias em Lima, 5 entre Cuzco e Águas Calientes para conhecer estes dois locais, além do vale sagrado e Machu picchu e por fim decidimos ficar mais 4 dias em Huaráz para conhecer a Laguna 69, Parón e Llanganuco.

    Gostaria de ajuda Rs

    Primeiro para saber se a quantidade de dias é suficiente entre Cuzco e Águas Calientes para o que queremos fazer. Outra coisa é sobre onde ficar: apenas um dia em águas calientes ou mais dias lá?

    Quanto a Huaráz, 4 dias para 3 passeios é suficiente? Gostaria de saber onde fechou o passeio para a Laguna 69 e os valores. Penso em contratar um guia apenas para me sentir mais segura, quanto vc acredita que terei que desembolsar para tanto e onde contratá lo?

    Vi que vc demorou apenas 2 horas e meia para subir, vi em outros locais que demoravam 4/5 horas e me assustei 😱

    Por fim, vi que postou que passaram pela Llanganuco antes de ir para a 69, então não seria necessário pagar um passeio exclusivo como vi em outro blog para a Llanganuco?

    Muitíssimoo obrigada

    • Camila Lisboa
      4 de julho de 2016 at 16:15

      Oi Francine! Vamos por partes 🙂

      Entre Cusco e Aguas Calientes tá boa a divisão.. claro que dá pra aproveitar mais com mais dias, mas o básico vai dar pra conhecer. Assim, acho que vale a pena dormir a noite anterior a subida a MP em Aguas Calientes, isso já seria suficiente!

      O da Laguna 69 eu fechei o transfer no hostel que eu fiquei, o Churup, que é muito bom 🙂 Por sinal, se fizer as reservas pra sua viagem usando o linlk do blog, ajuda muito a gente! Me custou 40 soles o tour. E, sério, não precisa de guia… é um caminho MUITO bem marcado… Acho que te fará bem fazer sozinha, pense nisso!

      Pode contar entre 2 horas e meia a 4 horas a subida… se demorar mais que isso, pode correr o risco de, na volta, o transporte não estar mais lá! Então, se tiver vendo que não tá indo, é bom ficar de olho no relógio.

      O tour passa sim pela Llanganuco, mas o passeio para a Llanganuco é diferente, porque fica mais tempo lá, dá pra tirar mais fotos e, o mais legal, passa por outras cidades da região. Eu era muito curiosa sobre Yungai, e fiz o tour só por isso.. tem um post aqui falando!

      qualquer dúvida, só perguntar!

      Beijos!

    • Thais
      1 de abril de 2017 at 00:11

      Francine!! Oi tudo bem? Vc foi?? Como foi?? Tbm tô programado esse percurso em Junho. 2 dias em Lima, 5 em Cusco e 3 em Huaraz

    • Thais
      1 de abril de 2017 at 00:14

      Camila. Adorei suas dicas!!!!! Na sua opinião é melhor ir primeiro em Cusco para acostumar com a altitude e depois na Laguna?

    • Camila Lisboa
      11 de abril de 2017 at 16:39

      Na verdade não =/ porque de Cusco você vai ter que voltar a Lima, que é nível do mar e vai ‘perder’ um pouco da aclimatação. É bom chegar em Huaraz e ir mais tranquilo… fazer o passeio da Laguna no terceiro dia na cidade pelo menos!

  13. Sarah Melo
    6 de julho de 2016 at 16:04
    Reply

    Camila, li todas as suas respostas sobre o post mas ainda estou com um pouco de receio 🙁 . Estou indo agora em setembro (época chuvosa), mas não quero perder por nada a oportunidade de conhecer Huaraz. Estou indo sozinha (a não ser que eu faça alguma amizade por lá), você acha que existe algum risco?
    Muito obrigada.
    Beijos!

    • Camila Lisboa
      11 de julho de 2016 at 12:20

      Tem o risco de se molhar! =P vai na fé, Sarah! O negócio é ir sabendo que é difícil e cansativo… vai controlando o seu ritmo, sem erro! E, já que é época de chuva, leva uma troca de roupa e deixa no ônibus… na volta, se voltar encharcada, tem roupa seca e isso diminui muito a chance de você ficar doente 😉

      Coragem, vai dar tudo certo!

  14. Ana Paula Fidelis
    15 de outubro de 2016 at 13:32
    Reply

    Nossa! Tú é guerreira mesmo, hein, Camila! Fiquei cansada e me imaginando do seu lugar! Ainda bem que tem pessoas como você para fazer essas trilhas e fotografar estes lugares lindos pra gente ver! kkk 😉

    • Camila Lisboa
      17 de outubro de 2016 at 22:03

      É maravilhoso mesmo 🙂

  15. Viaje Comigo
    15 de outubro de 2016 at 16:59
    Reply

    Só pelas fotografias – aquela das pedrinhas encavalitadas é linda – dá vontade de fazer o mochilão e partir. Que sítio lindo! E que vontade de lá ir. Obrigada pela partilha de ótimas dicas! Boas viagens!

    • Camila Lisboa
      17 de outubro de 2016 at 22:03

      É lindo mesmo! Obrigada pelos elogios 🙂

  16. Mariana
    15 de outubro de 2016 at 17:45
    Reply

    Oi, Camila ! Parabens pelo blog, primeiramente !
    Chego em Lima dia 10 de janeiro do ano que vem e vou pra Huaraz na madrugada do dia 13. Fico la apenas 2 dias (14 e 15) , ja retornando a Lima na madrugada do dia 15. Em dois dias, o que voce indicaria? Queria muito fazer a laguna 69, mas nao sei quel o melhor passeio para o dia anterior a ela. Pensei em fazer o tour Llanganuco, mas acho que será pouco para me aclimatar para a laguna. O que voce acha?

    Obrigada pela atençao! e boas viajens !

    • Camila Lisboa
      17 de outubro de 2016 at 22:02

      Oi Mariana!

      Acho dois dias pouco pra Huaraz… mas né, se é isso que você tem no roteiro, vai assim mesmo (mas se der pra apertar e tirar dias de outra cidade, vale a pena).

      O ideal seria não fazer nenhum passeio pesado e se adaptar a altitude… mas, se você se sentir bem, pode ir ao Chavin de Huantar, que não é um passeio pesado e não tem caminhada.

      O Pastoruri acho arriscado demais, já que passa de 5000 metros e tem uma hora de caminhada. Se conseguir adicionar mais um dia, sugiro fazer o pastoruri antes da 69 😉

      Aperta esse roteiro aí que vale a pena 🙂

  17. Ana Carolina Miranda
    15 de outubro de 2016 at 18:08
    Reply

    Camila, as suas fotos são maravilhosas e nos deixam morrendo de vontade de conhecer os lugares por onde você passa. Que lugar lindo!!! Eu não teria coragem de fazer esta trilha, pois morro de preguiça de andar, mas deve ser um passeio sensacional.

    • Camila Lisboa
      17 de outubro de 2016 at 21:58

      E eu acho que essas fotos nesse post nem tão tão boas assim… o lugar que deixa tudo maravilhoso mesmo 🙂

  18. Flávia Donohoe
    15 de outubro de 2016 at 19:24
    Reply

    Místico hahaha, não só no Peru, mas na Bolívia também, que dificuldade né. Que lugar incrível e que fotos maravilhosas. O legal é isso no final a recompensa é melhor que o sofrimento 😀

    • Camila Lisboa
      17 de outubro de 2016 at 21:57

      A altitude faz a gente sofrer, mas o final vale a pena mesmo!

  19. Josiane Bravo
    15 de outubro de 2016 at 20:10
    Reply

    Que super aventura essa trilha Camila, adorei ler tudo e ver essas fotos lindas 🙂 Acho que quanto mais desafiadora é a trilha, mais recompensante é no final. Gosto de trlhas das quais te levam para paisagens exuberantes, essas sim deixam a gente super motivadas né?. Conhecer o Peru e fazer essa trilha estão na minha bucket list 🙂

    Abraços

    • Camila Lisboa
      17 de outubro de 2016 at 21:57

      Parece que tudo fica mais bonito no final né? Depois de tanto suor (e lágrimas, rs).

      Mas vale a pena tudo porque é fascinante!

  20. Lidiane Albuquerque
    16 de outubro de 2016 at 05:19
    Reply

    Nossa, que lugares lindos ! Amei o post e saber mais dicas para explorar a região. Com certeza está na minha lista! 😉

    • Camila Lisboa
      17 de outubro de 2016 at 21:55

      Vale a pena!! 🙂

  21. angie
    16 de outubro de 2016 at 09:13
    Reply

    cada vez que lembro da 69 fico triste de não ter conseguido subir, fui para Huaraz justamente por causa dela e no fim não deu certo…agora eu PRECISO voltar..mas estarei bem preparada para as tretas!

    • Camila Lisboa
      17 de outubro de 2016 at 21:55

      Vamo voltar e a gente vai subir saporra correndo! =)

  22. Maria João Proença
    16 de outubro de 2016 at 10:27
    Reply

    Que sitio lindo! E o azul daquela lagoa…? Surreal. Deve ter custado muito mas parece que valeu a pena né? 🙂 Fantástico, obrigada pelas dicas!

    • Camila Lisboa
      17 de outubro de 2016 at 21:55

      É de outro mundo =)

  23. Juliana Moreti
    16 de outubro de 2016 at 13:09
    Reply

    Olà Camila
    Quando fiz minha trip para o Peru, quis muito incluir Huaraz, mas decidimos deixar o norte peruano para uma outra viagem!
    Hoje, com meu filhote, percebi que terei que adiar bem essa viagem, pois adorei as fotos deste lugar e espero num futuro ter folego (e joelhos) para conhecer essa laguna!
    😉

    • Camila Lisboa
      17 de outubro de 2016 at 21:54

      É preciso mais que fôlego e joelhos, Ju! É um preparo psicológico forte! 🙂 Mas não precisa ser super homem não, vai na fé 🙂

  24. Pedro Henriques
    18 de outubro de 2016 at 17:46
    Reply

    Esta Laguna 69 é de tirar o fôlego! Excelentes imagens e um relato muito emociante. Parabéns pelo artigo e pelas dicas. Obrigado

    • Camila Lisboa
      24 de outubro de 2016 at 12:47

      =) obrigada pelos elogios 🙂

  25. Minéia
    8 de fevereiro de 2017 at 18:00
    Reply

    Olá, Camila.
    Meu amei o seu relato sobre a Laguna 69, estou louca pra ir.
    Já escalei aqui no Brasil, essa seria minha primeira viagem sozinha fora do Brasil.
    Super mega não falo nada de espanhol muito menos inglês kkkk queria algumas dicas suas, pois estou um pouco perdida quero apenas conhecer a 69.
    Obrigada,
    Minéia

    • Camila Lisboa
      13 de fevereiro de 2017 at 12:15

      Oi Minéia, tudo bom?!

      Pode perder o medo porque essa viagem é bem tranquila, o mais complicado é a altitude.

      Do inglês e espanhol.. olha, no Peru é fácil se virar com português, eles são pacientes 🙂 Só falar devagar e pedir para que falem devagar tb!

      Fora isso é se preparar, porque as caminhadas são um pouco puxadas mesmo! 🙂

      Beijos e boa sorte!

  26. Viviane Carneiro
    3 de março de 2017 at 11:21
    Reply

    Uau… esse lugar é simplesmente fascinante. Acho que vale todo o esforço. Quero muito conhecer!!!

    • Camila Lisboa
      12 de abril de 2017 at 10:29

      Vale mesmo! É lindíssimo, Vivi 🙂

  27. Deise
    5 de abril de 2017 at 21:31
    Reply

    Oi Camila, boa noite! Me diz uma coisa, é longe de ir de aguas calientes pra Huaraz? E os gastos, ficam muito altos? rsrs

    Beijos, obrigada

    • Camila Lisboa
      11 de abril de 2017 at 16:18

      Oi Deise! Então é longe sim! Tem que voltar pra Lima e de lá pra Huaraz… não sai caro, mas de ônibus vai mais de 30 horas =/ e não tem ônibus direto!

      Do preço dá pra ver aqui 😉

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *