Blog posts

O que comer em Santiago?

O que comer em Santiago?

Chile, Morando no Chile, Santiago

Viajar também é comer, certo? Pra você não errar e ficar comendo comida ‘normal’ em Santiago, eu passo as dicas gastronômicas ‘do povo’! Isso mesmo! Não tem nada de restaurante que gira, água no doce… nada disso! As dicas aqui são para quem gosta do dogão de rua e do pastel de feira! 🙂 Confira a lista de o que comer em Santiago para quem quer entrar na vibe chilena!

Ah, e se quiser mais dicas de viagens gastronômicas, no final do post tem uma lista gigante de outros blogueiros que deram pitaco! Mais uma Blogagem Coletiva por aqui 😉

O que comer em Santiago? Mote con Huesillos

O mote é na verdade trigo, que fica no fundo do copo. O huesillo é um pêssego desidratado, que se rehidrata no caldinho… Que feito é chancaca (tipo rapadura) e bem geladinho é uma opção deliciosa pro verão.

o que comer em Santiago
O mote com huesillos não podia estar fora da lista!

Onde beber o Mote con Huesillos em Santiago?

Você vai encontrar em vários lugares, mas nos cerros San Cristóbal e Santa Lucía sempre tem (e são bem gostosos!).

O que comer em Santiago? Empanada de pino

Empanada é um clássico na América do Sul, mas cada país tem as suas particularidades. A empanada de pino é a mais clássica no Chile e é normalmente assada e o pino é o recheio, que é feito de carne picada, cebola, ovo cozido, azeitona e, às vezes, uva passa.

E é sempre bem grandinha, pra mim, substitui um almoço.

o que comer em Santiago

Onde comer empanada de pino em Santiago?

Em Santiago a minha ‘picada’ é um clássico. No Mercado Central (do lado de fora, não na parte dos restaurantes), O Empanadas Zunino vende empanadas desde 1930. Sempre tem fila, mas é rápido. E a empanada é boa, bonita e barata.

Mas a melhor empanada que comi no Chile foi um achado, que contei nesse post aqui.


Use os nossos parceiros para viajar tranquilo e ajudar o OMMDA:

BookingReservando com esse link aqui da Booking, você não pagará nada a mais por isso e nos ajuda (e muito) a manter o blog!

Anonymous-aiga-first-aid-bg-300px A Real Seguros é um comparador de Seguros Viagens e com o nosso link você já ganha 10% de desconto em qualquer compra!


O que comer em Santiago? Sopaipillas

Basicamente é um pão salgado frito. Não tem muuuuuito gosto, então o legal é comer com pebre, que é o vinagrete chileno.

As sopaipillas fritas, quentinhas... uma delícia! Foto by: Noelia
As sopaipillas fritas, quentinhas… uma delícia! Foto by: Noelia

Onde comer sopaipillas em Santiago?

Em qualquer tia na rua. Se joga. É tipo pastel, quanto mais duvidoso o local, mais gostoso é!

O que comer em Santiago? Completo

É o dogão chileno. Mas não é um simples cachorro quente… (E costuma assustar os brasileiros de primeira viagem).

O completo consiste em pão, chucrute (aquele de repolho, sabe?), salsicha, tomate picadinho e abacate. Sim, abacate! Pensa no delicioso dog paulista, com aquele purê de batata por cima? Substitui por creme de abacate. E por cima, aquela linha imensa de maionese caseira. Uma maravilhosa bomba calórica!

Ah, o completo ‘italiano’ é igual, mas sem o chucrute.

A maionese caseira extra no meu completo
A maionese caseira extra no meu completo

Onde comer completo em Santiago?

Muuuuuitos lugares vendem e tem até o Doggis, um fast food de completo. Mas o meu queridinho é o Fuente Forestal, que fica na quase na Alameda OHiggins, e perto da Plaza Baquedano (Irene Morales com Coronel Santiago Bueras). Mas o preferido chileno é em Talca, no Pollo Sabroso – não hermanos…

O que comer em Santiago? Helado de lúcuma

A lúcuma não é uma exclusividade chilena (inclusive, no Peru se encontra mais), mas sorvete de lúcuma é a tentação mais gostosa quando penso em sobremesa.

É uma fruta que é bem cremosa e rende um sorvete maravilhoso. O meu preferido no mundo todo!

Onde comer helado de lúcuma em Santiago?

Meu preferido, de longe, é o Empório la Rosa, que tem algumas filiais, mas a primeira fica pertinho do Museu Bellas Artes, Calle Mercedes com Calle Monjitas . Tem muitas opções de sabores e, se tiver dúvidas quanto à lúcuma, pode pedir pra provar antes de comprar 😉

O que beber no Chile? Terremoto

É uma bebida quase que mística, rs. Cada lugar faz de um jeito, mas dizem que a receita original leva pipeño (um vinho doce e meio fermentado), granadina e uma bola de sorvete de abacaxi. Tóxico, doce e bem alcoólico. Bão pra ficar bêbado hahaha

O terremoto no lugar mais clássico de Santiago
O terremoto no lugar mais clássico de Santiago

Onde beber o terremoto em Santiago?

Sem dúvida, o La Piojera é o lugar para tomar o terremoto. É um boteco copo sujo, cheio de histórica e muuuuuito bem localizado, ao lado do Mercado Central.

O que beber em Santiago? Michelada

A primeira reação como boa brasileira foi: gente, não se mistura cerveja com nada! Os chilenos estão loucos! Mas…

A michelada é uma mistura de cerveja, limão, sal e merkén (um tempero chileno meio picante). É uma delícia! Caí em tentação e sempre faço umas micheladas por aí!

Mas a michelada não é bem chilena, já que no México e em outros países você também pode encontrar, mas pra mim, o merkén é a graça da coisa, e vale a prova!

Onde beber michelada em Santiago?

Não tenho uma dica de um lugar específico, até porque qualquer bar vende! Mas vale a pena perguntar se é com merkén antes, porque alguns lugares fazem sem.

O que comer em Santiago?

Os clássicos

Poderia fazer um post imenso cheio de comidas gostosas daqui (as comidas caseiras! ❤️), mas fica pra uma outra chilenidade. Mas vou deixar uma listinha pra vocês não se perderem nos restaurantes:

Cazuela – uma sopa com ‘sustância’. Com arroz, batata e um tipo de carne (boi, frango, etc…).
Pastel de choclo/papa – é como se fosse o nosso escondidinho, na versão com purê de batata (papas) ou creme de milho (choclo).
Chupe (jaiba/centolla/…) – é uma massa de pão com farinha misturado com algum tipo de caranguejo (ou o que queira). É como se fosse uma torta com o recheio misturado. Não parece atrativo descrito assim, mas acredite, é um dos melhores!
Porotos (con rienda) – o feijão é preparado de maneira totalmente diferente por aqui. É um prato único, preparado cozindo junto com arroz e linguiça. Muitas vezes com cenoura também.
Lomo a lo pobre – bife, batata frita e ovo frito. O engraçado é que nunca é muito pobre… Sempre é um dos pratos mais caros do cardápio!
Curanto – um clássico do sul do país – principalmente da minha querida ilha de Chiloé! O curanteo é um cozido de mariscos, com batata e chapalele (uma massinha de farinha com batata… Que parece muito a um nhoque gigante).
Mariscal – uma combinação de mariscos com suco de limão e temperos. É servido frio ou quente, mas o frio, pra mim, combina mais.

O clássico do sul: Curanto
O clássico do sul: Curanto

O que não comer em Santiago?

Centolla

A “clássica” centolla no Mercado Central de Santiago sempre está na lista da maioria dos turistas – endinheirados- que vão à capital chilena. E eu não recomendo…

Não recomendo, não porque não gosto (porque na verdade eu gosto pra caramba de tudo do mar e a centolla é bem boa! Por sinal, chupe de centolla é um dos meus pratos favoritos por aqui…) , mas porque é um abuso o que fazem no mercado. O preço é fora do normal (você não paga menos de 300 reais no mega caranguejo) e a preparação nem é aqueeeeela coisa.

Pra centolla, recomendo uma visitinha pros lados de Chiloé e/ou Patagônia. Vai sair mais barato (bem mais barato) e vai ser mais gostoso. Garanto.

A nossa esfomeante lista da Blogagem Coletiva

Atravessar Fronteiras – Os deliciosos chocolates de Bariloche
Viajando em Família – Receitas para recordar 
Do RS para o Mundo – Uma viagem pela culinária no RS 
Turistando coma Lu: O que comer em Portugal
Tá indo pra onde? – A Rua do Porto em Piracicaba – SP 

About the author

Viciada em viajar, mas que sossegou - só um pouco - no Chile pra abrir um hostel. Já esteve em 9 países e 90 cidades fora do Brasil. Não sabe nadar (mas sabe andar de bicicleta). É facilmente comprável com doces e bom café. E é mão de vaca (isso é um dado importante).

46 Comments

  1. Renata Sucena
    26 de outubro de 2016 at 12:12
    Reply

    Hummmm, muitas delícias. Dicas anotadas para a próxima ida a Santiago. Que fome!!!

    • Camila Lisboa
      26 de outubro de 2016 at 18:26

      Tô com fome mesmo depois de ler esse monte de post da BC!

  2. Adriana Magalhães Alves de Melo
    26 de outubro de 2016 at 12:29
    Reply

    Cara, você é corajosa mesmo, hein?
    Eu tomei a michelada e muuuuuito pisco
    Agora tem umas coisas que não encaro não kkkkk

    • Camila Lisboa
      26 de outubro de 2016 at 18:26

      Ahhhh… nem é coragem! É que tudo é gostoso mesmo 🙂

  3. angie
    26 de outubro de 2016 at 12:46
    Reply

    meodeosdoceo vou voltar gordaaaaaaaaaaa

    • Camila Lisboa
      26 de outubro de 2016 at 18:25

      E com degustação de queijo e vinho… volta rolando pro BR!

  4. Cristina e Renato
    26 de outubro de 2016 at 16:26
    Reply

    Camila, que post mega interessante!!! Somos super fãs de comida de rua. Você mostrou um tanto de pratos típicos que nós nunca tínhamos ouvido falar. Que viaje essa pãozinho frito, hein? E esse cachorro-quente mistureba? Curtimos demais 😉 Dicas anotadas para a nossa ida à Santiago! Abraços, Cristina e Renato.

    • Camila Lisboa
      26 de outubro de 2016 at 18:25

      Eu sou a rainha de comer essas porcarias de rua, sorte que nunca passo mal com essas misturebas! 🙂 Mas vale a pena provar sim! Vai por mim 😉

  5. Amanda Almeida
    26 de outubro de 2016 at 18:58
    Reply

    Ai que delícia! Que fome e que saudade que deu. Por pouco eu vinha embora sem experimentar o mote. No último dia resolvi experimentar no Cerro San Cristoban e arrependi de não ter tomado antes, amei! Não animei o cachorro quente nem essas coisas todas com abacate, detesto. Adorei a michelada, mas desde sempre minha mãe faz isso em casa, então já acostumei, gosto muito. O terremoto foi a coisa mais terrível que já experimentei na vida, haha. Detestei, muuuuito doce. Até fiquei com vontade de experimentar o de outro bar, pq anunciam tanto, não é possível que seja tão ruim assim. Mas não animei 😛
    Adorei seu post, relembrei muito da minha viagem!

    • Camila Lisboa
      26 de outubro de 2016 at 22:19

      É, vou te falar que o terremoto não é o meu preferido mesmo hahahah e o de La Piojera é o ‘melhor’ uhauhauhau. E michelada é uma delícia, mas com merkén é melhor ainda 🙂

  6. Lívia Bellotti
    26 de outubro de 2016 at 21:22
    Reply

    Gente, eu tenho que voltar em Santiago! Eu não comi nada disso e fiquei com água na boca! rsrs Parabéns pelas dicas e por mostrar a gastronomia do povo chileno!

    • Camila Lisboa
      26 de outubro de 2016 at 22:19

      O pessoal fala que no Chile não tem comida boa, mas é porque não dá chance de provar essas coisas boas, bonitas e baratas!

  7. Gabi Pizzato - Devaneios de Biela
    26 de outubro de 2016 at 21:53
    Reply

    A foto de entrada do post já é uma coisa! Fiquei morrendo com a empanada de pino, quero muito!
    Preciso voltar ao Chile, kkk… Adorei as dicas!

    • Camila Lisboa
      26 de outubro de 2016 at 22:17

      É muito boa! 🙂 recém assada… hmmm… uma delícia!

  8. Fernanda - Blog Tá indo pra onde?
    26 de outubro de 2016 at 22:08
    Reply

    Um montão de coisas pra experimentar da próxima vez!!! Vários eu nem conhecia e olha que já fui umas 4x pra Santiago…

    • Camila Lisboa
      26 de outubro de 2016 at 22:16

      Nada como uma quase chilena pra te contar dos babados 😉

  9. Katarina Holanda
    27 de outubro de 2016 at 09:18
    Reply

    Que post interessante! Acredita que não tinha o sorvete de lúcuma onde fui? 🙁 Super me indicaram e fiquei na vontade. Eu amei a comida do Chile <3

    • Camila Lisboa
      27 de outubro de 2016 at 09:37

      Como não?!?! é o melhor do muuuuuuuuuuuuundo, Katarina!

  10. Liliane Inglez
    27 de outubro de 2016 at 17:07
    Reply

    Nada como uma viajante de carteirinha para desbravar todos os sabores de um lugar, hein?
    Adorei o post! Já estive em Santiago, mas não ouvi falar da maioria dessas iguarias!
    besitos!

    • Camila Lisboa
      27 de outubro de 2016 at 20:17

      É, a maioria passa batido mesmo, porque são bem locais mesmo! E quem fica sabendo, fica com aquele preconceitozinho (rs). Mas é tudo bem gostoso!

  11. Cynara
    27 de outubro de 2016 at 18:28
    Reply

    Dicas anotadas para quando formos a Santiago 🙂

    • Camila Lisboa
      27 de outubro de 2016 at 20:16

      🙂 obrigada por comentar!

  12. Debora
    27 de outubro de 2016 at 23:06
    Reply

    Camila,
    aprendi muito com o seu post… O Chile tem muuuuuiiiiito mais do que os famosos vinhos chilenos e empanadas!! Uma culinária bem diferente da nossa!

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 18:08

      É diferente demais, mas é muito boa 🙂 Dá pra comer muito bem por aqui 🙂

  13. Ana - voupraroma
    28 de outubro de 2016 at 09:02
    Reply

    Quando estive no Chile me acabei de comer empandas e Salmon… Hummm Mas agopra descobri mais algumas coisinhas que ainda não comi… Vou ter que voltar Camila!

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 18:06

      Salmão aqui no sul do Chile é uma delícia e barato 🙂

  14. Edson Amorina Jr
    28 de outubro de 2016 at 11:59
    Reply

    Adoro o cachorro quente com “purê de abacate” e também fui assaltado/abusado/extoquido no mercado central, mas a tal da Mote con Huesillos não me chamou atenção não… rs

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 18:01

      O Mote, no calor do verão, é gostoso 🙂 E o completo é uma delícia!

  15. Murilo Pagani
    29 de outubro de 2016 at 17:17
    Reply

    Fiquei morreeeendo de vontade de provar a empanada de pino!!!

    Sobre o hot dog eu prefiro a nossa versão…. hahahaha

    Abraço

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 17:52

      Eu gosto da versão paulista com purê de batata hahahha mas com abacate é bem gostosinho tb!

  16. Ana Zacchello
    30 de outubro de 2016 at 17:00
    Reply

    Gente! Quantas delícias! Preciso provar essa empanada de pino urgentemente! 😀

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 15:11

      É muuuuuuuuito boa!

  17. Gê Azevedo - Mineiros na estrada
    30 de outubro de 2016 at 20:16
    Reply

    Uma coisa que não gostei aí é o tal do abacate em tudo que é sanduba kkk.
    E o lomo a lo pobre a gente até brincava que devia ser “lomo a lo rico” porque realmente eram mais caros que muitos outros itens do cardápio.

    • Camila Lisboa
      31 de outubro de 2016 at 15:08

      Ahhhh é bom! E adoooooooro a palta em tudo 🙂 Já substituí oficialmente a manteiga por abacate no café da manhã!

  18. Alessandra Maróstica de Freitas
    1 de novembro de 2016 at 12:10
    Reply

    Ainda não conheço Santiago. Quando for, já vou me preparar para voltar com uns quilinhos a mais!!! Quero provar tudo! Adorei o post!

    • Camila Lisboa
      1 de novembro de 2016 at 13:23

      A dieta a gente faz na volta 🙂

  19. Luciana de Campos Assis
    2 de novembro de 2016 at 09:33
    Reply

    Seu post mais que me convenceu a voltar pra Santiago urgente! Não comi nem metade do que está quando fui. Parabéns pelo post Ca!

  20. Ana Carolina Miranda
    2 de novembro de 2016 at 19:48
    Reply

    Camila, nem parece que fui ao Chile, vou ter que voltar só para seguir suas dicas! Acredita que não comi nenhuma comida típica?

    • Camila Lisboa
      3 de novembro de 2016 at 14:05

      buuuuuuuu =/ tem que voltar mesmo!

  21. Bruno Jamalaro
    4 de novembro de 2016 at 18:34
    Reply

    Faltou citar a chorrillana. Nada de alta gastronomia, muito pelo contrário, mas uma citação acho que vale 😉

    • Camila Lisboa
      11 de novembro de 2016 at 17:06

      Foi gosto pessoal que não coloquei, rs… mas sim, vale a pena citar *e se olhar bem, tá na foto de capa 😉

  22. Andrea
    13 de novembro de 2016 at 19:45
    Reply

    hahahahaha… to rindo até agora do ‘quanto mais duvidoso o lugar, melhor é’. Também penso assim! Sou louca por empanadas! bj.

    • Camila Lisboa
      14 de novembro de 2016 at 12:05

      Verdade mais verdadeira 🙂 hahaha

  23. Débora Resende
    20 de fevereiro de 2017 at 14:31
    Reply

    Quanta coisa diferente! Fiquei com água na boca, doida pra experimentar vários pratos! Sou apaixonada por empanadas, mas essa do Chile parece bem diferente das argentinas, rs.

    • Camila Lisboa
      21 de fevereiro de 2017 at 18:49

      Muuuuuuito! Aqui a maioria é assada e na Argentina, pelo menos as que eu comi, são fritas ou de massa folhada 🙂 (são boas também, btw ahah)

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *